Universidade Federal de Pernambuco - Departamento de Engenharia de Produção
Qualificação pode melhorar a produtividade em Suape PDF Imprimir E-mail

Por Paulo Veras

Na hora certa! Esse é o lema para um processo produtivo que seja, ao mesmo tempo, eficiente e simples. É o que defende a professora Juliana Valença de Sousa, mestre em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Pernambuco. “Processos produtivos eficientes e eficazes geram menos desperdício, custos e tempo, além de aumentar a moral dos funcionários”, explica.

Na dissertação de mestrado profissional “Análise das perdas em processos produtivos nas indústrias localizadas no perímetro do complexo industrial portuário Suape”, orientada pela professora Danielle Costa Morais, Juliana analisou as perdas em processos produtivos nas indústrias localizadas no complexo industrial portuário de Suape. “É um pólo geográfico em franca ascensão. Hoje é a principal porta de entrada e saída de mercadorias de todo o Nordeste, e seu potencial de ganho está apenas no início”, diz.

As 102 empresas identificadas pela pesquisadora instaladas no Complexo atraíram mais de 20 bilhões de dólares em investimentos públicos, segundo dados do portal de Suape, mantido pelo governo do Estado. Segundo a página, os empregos diretos e indiretos gerados pelo empreendimento chegam a mais de 140 mil profissionais. Nem todas essas empresas, porém, se encaixam no perfil do estudo. A ideia era trabalhar somente com indústrias de transformação que ficassem dentro da Zona Industrial de Suape. Essas eram as que se encaixavam no perfil de utilização do sistema de produção Just In Time (JIT).

“A princípio, aplicar o JIT significa produzir bens e serviços exatamente no momento em que são necessários. Não antes, para não existir estoques, nem depois, para não gerar espera”, explica Juliana. O objetivo básico é evitar desperdícios. E, para isso, a qualificação profissional é fundamental. Isso porque a integração do elemento humano é um diferencial nesse modelo de produção. Dentro do ambiente JIT há mudanças rápidas no processo industrial, que trabalha com lotes menores. Há também uma maior autonomia dos funcionários para realizar pequenas funções, como pequenos reparos e manutenção preventiva simples.

“É essencial que os profissionais dessas empresas sejam bem treinados, orientados e supervisionados para fazer o certo desde a primeira vez, evitando desperdícios de recursos, de tempo e falta de qualidade. Um funcionário mal treinado não entende a sua importância dentro do sistema e, como consequência, não sabe identificar erros de conformidade dentro da linha de produção”, explica Juliana. Barreiras culturais também dificultam na implementação do modelo. Desenvolvido no Japão, o JIT exige um comprometimento constante dos funcionários no processo produtivo.

Para qualificar os trabalhadores vale usar várias estratégias: workshops, palestras, seminários, consultoria. A professora defende também o modelo de “programa piloto” que, dentre outras coisas, inclui apresentar aos funcionários uma linha de produção que já opere com o JIT, por meio de uma visita técnica a outra empresa.

Este trabalho serve como o primeiro passo para compreender como funciona a produção de um dos maiores centros econômicos do país. “Esse trabalho foi apenas uma porta de entrada e consulta aos próximos pesquisadores que o terão como norte de onde devem começar. Pode-se dizer que esse trabalho foi um dos primeiros, ou o primeiro, nesta área que envolve Suape e seu parque industrial”, completa.
 
Engenharia de produção está entre as 30 profissões que estarão em alta em 2013 de acordo com revista Exame PDF Imprimir E-mail

Engenheiro de produção

Por que é promissora: A exploração do pré-sal pelo Brasil demanda profissionais desta especialidade em todas as etapas do processo.

Perfil: Além da formação técnica e bom nível de inglês, é preciso ter perfil de liderança e saber trabalhar em grupo. “O profissional pode até não liderar um projeto em um primeiro momento, mas mais vai ter que interagir com diferentes áreas”, diz Licínio Motta, diretor geral de pós-graduação da ESPM-SP.

Salário: início de carreira é de R$ 5 mil ou R$ 6 mil e chega a R$ 25 mil e R$ 35 mil para profissionais com 10 e 15 anos de experiência

Fonte: http://exame.abril.com.br/carreira/noticias/30-profissoes-em-alta-em-2013#6

 
Tese de doutorado em engenharia de produção da UFPE é destaque no prêmio CAPES em 2012 PDF Imprimir E-mail

A tese “Modelos multiatributo de decisão para gestão centralizada e coordenada de estoques numa cadeia de suprimentos de dois estágios operando em single period problem”, defendida pelo aluno do Programa de Pós-graduação em Engenharia de Produção da Universidade Federal de Pernambuco, Anderson Jorge de Melo Brito, recentemente, ganhou menção honrosa do Prêmio Capes de Tese 2012. O trabalho teve destaque acadêmico por apresentar uma abordagem inovadora e criativa na gestão de uma cadeia de suprimentos. O aluno teve quatro artigos publicados em periódicos indexados no ISI (Institute for Scientific Information) e vários artigos publicados em congressos de destaque internacional.

Mais informações em:

http://capes.gov.br/images/stories/download/legislacao/portaria-n-160-20112012-PremioCapesdeTeseEdicao2012.pdf

http://capes.gov.br/premiocapesdetese/noticias/5902-divulgado-resultado-do-premio-capes-de-tese-2012

 
Aluno de Engenharia de Produção da UFPE participa de encontro com a Presidente Dilma na França PDF Imprimir E-mail

Foto: Roberto Stuckert Filho/PR


No contexto da visita da Presidente Dilma Roussef a França, sete estudantes brasileiros do programa Ciências sem fronteiras, em intercambio na França, foram escolhidos para um jantar no Palacio do Elysée em presença dos chefes de estado Dilma Roussef e François Hollande na noite do 11 de dezembro.

Pedro Afonso de Albuquerque, terceira pessoa a partir da esquerda e aluno do curso de Engenharia de Produção da UFPE, esteve presente dentre os estudantes escolhidos.

Mais informações:
 
Cursos de Pós-graduação Lato Sensu do departamento com inscrições abertas até 07 de Fevereiro PDF Imprimir E-mail

POS.MBA.DEP.UFPE

As inscrições para os cursos de Pós-graduação Lato Sensu foram prorrogadas até o dia 07 de Fevereiro.

Os cursos tem previsão de inicio das aulas no mês de Março. Os interessados em participar destes cursos podem efetuar uma pré-inscrição on-line

MBA em Logística - UFPE
Especialização em Gestão da Manutenção - UFPE
MBA em Gestão da Informação - UFPE
MBA em Gestão da Produção - UFPE

Mais informações em www.dep.org.br/posgraduacao

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 Próximo > Fim >>

JPAGE_CURRENT_OF_TOTAL