Museu

PDF Imprimir E-mail

Museu da História da Topografia e Engenharia Cartográfica da UFPE

Coordenador do projeto: Prof. Daniel Carneiro da Silva

O atual Departamento de Engenharia Cartográfica é o sucessor em Pernambuco na formação de engenheiros de medição desde o início dos cursos da antiga Escola de Engenharia criada em 03.06.1895, que foi a quarta escola de engenharia criada no Brasil, e que deu origem ao atual CTG- Centro de Tecnologia e Geologia.

A Escola de Engenharia começou a funcionar em março de 1896 diplomava como agrimensor os alunos de engenharia civil que houvessem concluído os três primeiros anos e que fossem aprovados em Topografia e desenhos topográficos, e assim foram formados agrimensores em 1896 e 1897. Com mudanças do regulamento, a partir de 1901, no lugar de agrimensor passou a conceder diploma de engenheiro geógrafo aos alunos de civil que cursassem os três primeiros anos e mais as disciplinas de geodésia, topografia e astronomia.

Os engenheiros geógrafos foram formados com regularidade até 1905 e continuou intermitantemente até 1936, sendo que o último foi diplomado em 1955. Neste período os engenheiros civis cursavam as citadas disciplinas e portanto a tradição de formação de engenheiros de medição em Pernambuco é muito antiga e bem anterior ao atual curso de engenharia cartográfica que foi criado em 1970, quando então as disciplinas de geodésia e astronomia saíram do currículo de engenharia civil.

O Departamento de Engenharia Cartográfica herdou um acervo de dezenas de equipamentos topográficos, geodésicos e astronômicos. Este acervo é muito valioso para história das engenharias de medições topográficas em Pernambuco e no Brasil, que abrangem hoje as engenharias de agrimensura e cartográfica, mas que são aplicadas às engenharias civil, arquitetura, geologia, etc.

A quantidade de peças, dispositivos e equipamentos é muito grande, alguns com mais de 200 anos: são esquadros de agrimensor, bússolas, teodolitos e trânsitos de todos os tipos, níveis, lunetas astronômicas, pranchetas de alidade, barômetros, etc. Também existem peças de fotogrametria, cálculo e desenho, igualmente valiosos. Possivelmente muitas dessas peças são únicas no território nacional, considerando as informações disponíveis sobre o acervo do Museu Virtual do Laboratório de Topografia e Geodésia da USP, Museu da UFRGS e poucos outros similares existentes no Brasil.

O acervo está na fase final de catalogação e classificação, algumas peças foram recuperadas e, a sala de exposição já está adequadamente instalada e o museu já pode ser visitado, com agendamento prévio com o Prof. Daniel.

Acervo: