Anatomia e Doação de Corpos

PDF Imprimir E-mail

IMPORTÂNCIA DA ANATOMIA

O estudo da Anatomia humana se faz imprescindível para o conhecimento e compreensão do corpo humano como um todo, na importância e interação de todas as suas estruturas e características de cada um de seus órgãos ou partes, como meio essencial para promover a vida e cura dos males, intenção primária no ato de cuidar, enquanto técnica, arte e ciência, no seu mais expressivo compromisso”  (Dangelo e Fattini, 2007)

 

A Anatomia Humana é a área da ciência que estuda a morfologia macroscópica e a estrutura dos seres humanos. Atualmente existem vários métodos pedagógicos para o “ensino-aprendizagem” da anatomia, entretanto a dissecação de cadáveres continua sendo a metodologia mais eficiente, desde a Idade Antiga.

O conhecimento anatômico é base fundamental para a formação dos profissionais que lidam com a saúde e o bem-estar. Todos os cursos de graduação relacionados, direta e indiretamente, com saúde (Medicina, Enfermagem, Odontologia, Nutrição, Fisioterapia, Terapia Ocupacional, Fonoaudiologia, Farmácia, Educação Física, Biomedicina, Ciências Biológicas, Psicologia, Engenharia Biomédica, Dança, outros) devem ser iniciados pelo estudo da anatomia humana, favorecendo a progressiva formação acadêmica e garantindo o futuro exercício profissional.

Mas o laboratório de anatomia não serve apenas para ensinar/aprender anatomia. Trata do confronto com a morte. Muitas vezes a anatomia proporciona ao estudante seu primeiro contato com um morto; visto dessa forma, é considerado como um passo indispensável e fundamental na formação do profissional de saúde. Horne e cols. (1990) enfatizam que a dissecação humana provê uma oportunidade única para sensibilizar os estudantes para os complexos resultados que eles encontrarão em suas carreiras. Dissecar um cadáver, segundo aqueles autores, não é simplesmente um exercício neutro e técnico, mas acarreta questões sobre as relações entre a biologia humana e a psicologia. Isto, segundo eles, permite a discussão de temas difíceis, como a dignidade humana, a mortalidade, o luto e o modo como lidar com as emoções experimentadas pelos pacientes e pelos profissionais de saúde.

Nas instituições universitárias do Brasil, o ensino da Anatomia pode ser realizado com cadáveres provenientes de morte natural (doença/senilidade). Entre os cadáveres de morte natural tem-se:

1. Corpo não reclamado: corpo de pessoa que faleceu e não foi procurado por familiares ou amigos

(Lei Federal nº 8.501, de 30/11/1992)

2. Doação do corpo em vidacorpo de pessoa que doou-se em vida

3. Doação do corpo pela famíliacorpo de pessoa doada pela família

 

APRESENTAÇÃO DO PROBLEMA


 

        O padrão de ensino das Universidades pode ser comprometido pela falta de cadáveres para dissecação. O ensino de Anatomia Humana tem sido realizado em peças anatômicas dissecadas mais de uma vez, muitas vezes com objetivos práticos não visíveis com nitidez, e ainda com substituições de peças cadavéricas inexistentes por modelos em PVC ou artesanais.

 

SOLUÇÃO DO PROBLEMA


 

        Suscetível ao problema, a UFPE compartilha com a sociedade, através deste site, que existe solução para resolver a carência de corpos destinados a estudo anatômico, que atinge esta instituição. A solução está na DOAÇÃO DE CORPOS. Esta doação pode ser realizada de duas formas:

1.Doação do corpo em vida

2.Doação do corpo pela família

 

BENEFÍCIOS OBTIDOS COM A DOAÇÃO DE CORPOS


 

 

 1. Contribuir para a melhor formação dos profissionais da área de saúde e de áreas afins

  

 2. Colaborar para a formação humanista dos estudantes

  

 3. Permitir o desenvolvimento de novas técnicas cirúrgicas mais eficientes e menos invasivas

 

 4. Possibilitar o estudo e o conhecimento das variações anatômicas existentes entre os indivíduos

 

 5. Ajudar no desenvolvimento das pesquisas médico-científicas 

 

 6. Permitir que pessoas interessadas em doar seus corpos para estudo, possam realizar seu desejo com segurança e tranquilidade, por encontrar  na instituição receptora os procedimento de doação legalmente padronizados e eticamente realizados.

 

 

 

Profa. Elizabeth Neves de Melo 

Curadora do Acervo de Cadáveres Humanos/CB/UFPE

 

DANGELO JG, FATTINI CA. Anatomia humana sistêmica e segmentar. 3ª ed. São Paulo: Atheneu. 2007. HORNE DJ, TILLER WG, EIZENBERG N, TASHEVSKA M, BIDDLE N. Reactions of first-year medical students to their initial encounter with a cadaver in the dissecting room. Acad Med 1990; 65 (10): 645-646.