Memorial Denis Bernardes

PDF Imprimir E-mail

A criação do Memorial Denis Bernardes se deu, oficialmente, com a reabertura da Biblioteca Central em junho de 2013, ano em que a predominância das atividades do setor foi resgate e guarda de objetos informacionais que se referem à memória institucional e de Pernambuco. Atualmente, o Memorial é composto por 11 (onze) fundos documentais. Estes estão sendo inventariados, no corrente ano, a serem definidos: quantitativo, conteúdo e características físicas de cada conjunto documental. Os Fundos Documentais são descritos a seguir.

Fundo Documental João Alfredo

O conselheiro João Alfredo Correia de Oliveira (1835 -1919) realizou, em Olinda, seus estudos de Direito. Foi Deputado Provincial, Deputado Geral, Senador do Império, Conselheiro de Estado, Presidente das Províncias do Pará e de São Paulo e Presidente do Conselho de Ministros, havendo contribuído com ações em todas as áreas para o desenvolvimento do Brasil. Seus documentos privados constituem, assim, testemunho de um período crucial da história do país, quando o modelo monárquico se ‘desmantelava’ dando lugar à ordem republicana. Estimado em aproximadamente 9.337 documentos, a maioria constitui-se das correspondências, porém, o acervo também compreende 588 documentos de outras tipologias, entre eles encontram-se jornais, papéis referentes ao Banco do Brasil, ofícios, fotografias, estudos, projetos de lei, mapas, plantas entre outros. 

Fundo Documental Padre Daniel Lima

Sacerdote secular católico, poeta e ex-professor de Filosofia da UFPE, o acervo pessoal do Pe. Daniel dos Santos Lima (1916 - 2012) é de base filosófica e literária e se compõe, em sua maioria, de textos datilografados; destes, 13 cadernos compõem-se de conjuntos de poemas e 14 de escritos filosóficos. Além dos datilografados, existem em sua coleção manuscritos avulsos acondicionados em pastas e agendas. A publicação de apenas um conjunto destes seus trabalhos, a obra “Poemas” (pela Companhia Editora de Pernambuco), organizada às escondidas pela professora Luzilá Gonçalves e publicada quase sem a sua aprovação,ganhou o prêmio Alphonsus de Guimaraens da Fundação Biblioteca Nacional 2011 - Categoria: Poesia, divulgando o seu nome nacionalmente e colocando-o no hall dos grandes escritores brasileiros do momento.

Fundo Documental Methodio Maranhão

Methodio Romano Albuquerque Maranhão (1864 - 1951), jurista, político, professor catedrático, historiador. Ingressou em 1916 na Faculdade de Direito do Recife obtendo grau de Bacharel. Teve uma ativa vida intelectual participando de diversos movimentos culturais da cidade do Recife. Dedicou-se também à pesquisa histórica, atividade que desenvolvia no Instituto Arqueológico, Histórico e Geográfico de Pernambuco, onde ingressou como sócio em 1907, chegando a ocupar, em 1942, o cargo de presidente. Exerceu mandato de Prefeito Municipal de Goiana no período de 1907 a 1910 (UNIVERSIDADE..., 2011). O acervo é composto por parte da biblioteca pessoal do ex-professor com aproximadamente 10 mil títulos.

Fundo Documental Ruy Antunes

Ex-professor da Faculdade de Direito do Recife, Ruy da Costa Antunes foi eleito deputado estadual pelo Partido Comunista, porém teve seu mandato cassado em 1948, pouco depois de o partido ter sido declarado ilegal. Depois desse breve período atuando na política, o professor passou a advogar na área penal e a dar aulas na Faculdade de Direito, aproximando-se ainda mais dos livros. Sua biblioteca pessoal foi transferida para o Memorial em 2013 e é composta por cerca de 10 mil títulos.

Fundo Documental Joaquim Cardozo

Joaquim Maria Moreira Cardozo (Recife, 26 agosto 1897 – Olinda, 04 novembro 1978), apesar de ser bastante conhecido como engenheiro, foi também poeta, contista, desenhista e editor de revistas especializadas em arte e arquitetura. Iniciou estudos em Engenharia em 1915 e, na década de 1940, é convidado por Oscar Niemeyer para fazer os cálculos estruturais do conjunto Pampulha. Cardozo publicou 11 livros, destacando-se a obra Poemas, que tem prefácio de Carlos Drummond de Andrade. Até o momento, foram identificados aproximadamente 200 títulos de sua biblioteca pessoal no Memorial Denis Bernardes.

Fundo Documental Marcos Freire

Nasceu em Recife em 5 de setembro de 1931 e, influenciado pelo pai, ingressou na Faculdade de Direito do Recife no ano de 1950, onde participou ativamente da política estudantil. No decurso de quase meio século, o ex-senador Marcos de Barros Freire, atuou no meio político nacional, militando contra os detratores da democracia e estimulando uma geração de políticos que findaram por promover a abertura e a consequente redemocratização do país. Exerceu carreira acadêmica na Faculdade de Ciências Econômicas da Universidade, lecionando também na Escola de Administração, Faculdade de Direito do Recife. O acervo custodiado no MDB é composto por recortes de jornais (acervo de clipping) reunidos por Marcos Freire no período de 1952 a 1985. São 204 livros com recortes colados, ordenados cronologicamente, das quais não constam as de número 169 e 179.

Fundo Documental Assessoria de Comunicação da UFPE (ASCOM) 

 

A Assessoria de Comunicação Social da Universidade Federal de Pernambuco (ASCOM), em parceria com o NTI (Núcleo de Tecnologia da Informação), é responsável pelacoordenação da política de comunicação da UFPE isto é, a mediação nos contatos entre a comunidade acadêmica e a imprensa. Cobriu jornalisticamente e documentou fotograficamente toda a vida acadêmica institucional. Este fundo documental é composto por cerca de 15 mil fotografias, que já se encontram digitalizadas pelo Laboratório de Tecnologia do Conhecimento (LIBER).

Núcleo de Rádio e TV Universitária (NRTVU/UFPE)

Com a missão de Promover a comunicação pública de maneira democrática e participativa, estimulando a formação crítica e a construção do conhecimento, o Núcleo de Televisão e Rádios Universitárias (NRTVU), nasceu de um processo realizado pelos próprios profissionais da televisão e das rádios com apoio da Universidade Federal de Pernambuco.

Em 2013, foram resgatados cerca de 11 mil discos de vinil da Rádio Universitária e aproximadamente 200 fitas U-Matic com programações da TV Universitária. Com a obsolescência das mídias, a partir da modernização do equipamento do sistema de rádios da UFPE com a introdução da banda larga e a reestruturação dos estúdios para tecnologias digitais, tais suportes estavam guardados em péssimas condições de armazenamento, mas atualmente se encontram em estantes deslizantes apropriadas no MDB, apesar de não estar ainda em situações ideais de conservação e preservação. Além disso, as mídias carecem de identificação e tratamento informacional.

Escola de Medicina

O Acervo da Antiga Escola de Medicina guardado MDB reúne os registros das atividades acadêmicas realizadas antes da formação da UFPE, principalmente a atuação política e pedagógica do médico Otávio de Freitas, profissional que ratificou a Ata inaugural da escola após 1909. Constituído por parte dos documentos administrativos produzidos ao longo dos anos de sua existência, o acervo apresenta várias tipologias documentais como: atas, relatórios, ofícios, pareceres, documentos de diplomados, dentre outros, que ainda estão sendo identificados no inventário.

Escola de Belas Artes

Em 1932, foi idealizada uma Escola de Belas Artes, para o Recife, seguindo os parâmetros da Escola Nacional de Belas Artes. Para que se mantivesse a continuidade no processo de oficialização foi criado um grupo que se chamou de “Comitê Pró-Escola de Belas Artes de Pernambuco”. Ainda no mesmo ano, foi alugada a casa conhecida como “Solar dos Amorim” na Rua Benfica, 150, bairro da Madalena. A Escola de Belas Artes do Recife começou a funcionar, no dia 15 de julho daquele mesmo ano, a partir de boa vontade e doações, incluindo o empréstimo dos bustos de gesso da “Loja Maçônica Conciliação”. Os documentos se referem às transformações ocorridas na escola até a transferência dos cursos para o campus universitário na década de 1970.

Produção Intelectual da Universidade (PIU)   

O acervo PIU é composto por publicações escritas por servidores ou ex-servidores da UFPE ou pós-graduados (Mestrado e Doutorado) que são editadas pela Editora Universitária. Além disso, este fundo documental também é constituído pelas teses e dissertações da UFPE. Estão inseridos no Sistema Pergamum, tratados sob os Sistemas de Classificação Decimal de Dewey (CDD). Os títulos que ainda estão classificados com a Classificação Decimal Universal (CDU) serão alterados para CDD.

Diante do exposto, podemos exemplificar (Quadro 1) como está organizado o acervo até o momento, baseado nas normas da Biblioteconomia e Arquivística:

Quadro 1 – Fundos Documentais, Séries e Subséries do Memorial Denis Bernardes.

Fundo Documental/Sigla

Série

Subsérie(s)

Digitalizados

João Alfredo (JA)

Correspondência

Recebida

Enviada

Sim

Daniel Lima (DL)

Manuscritos

Poesia

Soneto

Agendas pessoais

Sim

Sim

Não

Methodio Maranhão (MM)

Material Bibliográfico

Livro/Folheto

 

Ruy Antunes (RA)

Material Bibliográfico

Documentos Pessoais

Artefatos Tridimensionais

Livro/Folheto

Periódico

Não

Não

Não

Não

Joaquim Cardozo (JC)

Material Bibliográfico

Livro/Folheto

Não

Marcos Freire (MF)

Material Bibliográfico

Recortes de Jornais

Não

ASCOM

Iconografia

Fotografias

Sim

NRTVU

Audiovisual

Áudio

Vídeo

Não

Não

Escola de Medicina (EM)

   

Não

Escola de Belas Artes (EBA)

A definir

A identificar

Não

PIU

Material Bibliográfico

Livro/Folheto

Teses/Dissertações

Não